1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

10 anos de PDE

 

MSW celebra 10 anos do PDE e reúne empresários da Braskem para criar cenários até 2030

 

O Programa de Desenvolvimento de Empresários da Odebrecht, concebido e conduzido pela MSW Educação e Consultoria, comemora 10 anos com mais de 700 líderes tendo passado pelo aprimoramento na arte da condução da Tarefa Empresarial. 

De 26/06 a 01/07, a MSW realizou a segunda fase do PDE 2012, reunindo empresários da Braskem, empresa do grupo Odebrecht, em Porto Alegre. A missão do PDE é acelerar a formação de líderes alinhados à cultura da Organização, contribuindo de forma sinérgica para a educação pelo trabalho. Até o fim de 2012, serão 10 as turmas do PDE Engenharia - que inclui a Foz do Brasil, Odebrecht Realizações, Óleo & Gás e OCS -, e seis turmas do PDE Braskem.

“O PDE é uma pausa no dia-a-dia para reflexão sobre a própria experiência e para auto-avaliação. Aprendemos com a prática da Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO) e com as lições de líderes das três gerações à frente da Organização. Não criamos empresários. O talento de ser empresário já está em cada um, mas a reflexão do PDE inspira os participantes a respeito das próprias possibilidades e amplifica o ímpeto para realização profissional e pessoal”, resume Moises Swirski, PhD em Finanças pela Stern School of Business da New York University, sócio-fundador da MSW Educação & Consultoria e coordenador acadêmico do PDE.

Com o objetivo de ampliar o olhar dos empresários e aprimorar as capacidades de conceituar, focalizar, planejar e avaliar a execução do Programa de Ação, o PDE trabalha, entre outras metodologias, com a criação de “Cenários Futuros”, em que os participantes precisam exercitar a criatividade para antever cenários para o mundo nas próximas décadas, para a empresa (visão, modelo de negócios etc) e para os negócios/produtos realizados por ela. No caso, do PDE da Braskem, os participantes desenharam cinco diferentes cenários, com base em variáveis tecnológicas, econômicas e geopolíticas, elegendo uma lista de possíveis soluções, que podem vir a sair do papel, transformando-se em projetos, especialmente os focados em sustentabilidade. 

“O objetivo é que, assim, possamos avaliar variáveis e considerar novas possibilidades para soluções criativas. Muitos projetos e ideias nascem neste fórum de criação”, diz Swirski. 

Em janeiro de 2010, com a aquisição da Quattor, por meio de um Acordo de Investimento celebrado entre Odebrecht, Petrobras, Braskem e Unipar, a Braskem passou a ser a maior empresa petroquímica das Américas em capacidade de resinas termoplásticas (polietileno, polipropileno e PVC) e a oitava petroquímica no ranking global. Com integração entre a primeira e segunda geração petroquímica, suas 31 plantas, sendo 28 no Brasil (em Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul), e três nos Estados Unidos, têm capacidade para processar 5,5 milhões de toneladas por ano de resinas e 6,4 milhões de ton de petroquímicos básicos.

A Braskem, controlada pela Odebrecht, tem a Petrobras como seu sócio principal e ações listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova York e Madri. Com presença estratégica no mercado internacional, a empresa fornece resinas e outros itens para mais de 60 países dos cinco continentes.